21 de junho de 2009

o
dia zangado ou 
porquê→?!
Tu, que te esgotas em banalidade, Tu que te regozijas com as boas estradas do teu país, Tu, que te esbanjas em sonhos estanques, Tu que não andas, Tu, febril das questiúnculas do Febril dos Mandamentos, velhaco arruaceiro do desastre da Arte, embrutecimento do verbo, verborreico vazio, gérmen estéril da Desgraçada Família, Tu o de vida depauperada, dessexuado das preces, realizado na cegueira, Tu, a das pernas fechadas para honrares o Pai e te desprezares a Ti, Tu o homofóbico, Tu, ó misógino, Tu que fazes mofa não vendo que te és escárnio em Si, Tu, que até haverias de gostar de levar no cu mas que teme-lo ainda perante a Moral talvez porque julgues que só expelir coisas dali é que é! Tu! por que insistes em desistir de Ti se até tens com que valer, por que foges para o sonho se a Realidade é o Sonho, Tu camaleão do potencial variegado, por que te surges só monocromo, por que te resumes a embarcação unirreme de movimento circular sobre o eixo paralítico de um círculo autotelicamente irrisório e tonto em águas estagnadas e paisagem em 360º de tontaria redonda e obtusa, por que te desfazes nisso e só andas pelo país a apreciar as sáfias rectas alcatroadas?, Tu que temes as curvas não-das-estradas, que sentes vertigens não-dos-sítios-altos, mas que és efectivamente mais alto que os sítios altos, mais sinuoso que todas as curvas de todas as estradas, que tens em Ti a profundidade do pélago, a voracidade do lobo, a sageza do ofídio, diz-me Tu então!, por que te desprezas em cordeiro cagado pelo carreiro fora?! E diz-me Tu, por que os deixas cagarem-se assim em inúteis caganitas pelo carreiro dos demais — diz-me porquê, diz-me Tu,
porquê→?!
anno 2007

7 comentários:

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Só falta o título: "O dia zangado ou porquê?" ou "Diz-me porquê, diz-me Tu, porquê?!". :)

Tiago r disse...

O título é precisamente «o dia zangado ou porquê-?!» Julgava que se percebia... Talvez por o não ter separado do bloco de texto abaixo. :)

Tiago r disse...

Decidi não utilizar a caixa de título da Blogger, ao compor o post, porque era assim que anteriormente o tinha composto graficamente: gosto da aparência do título se confundir com o texto.

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Sim, tinha percebido que era esse o título, porque está destacado, embora não na caixa. Apenas referi isso, porque, quando aparece no link, o título é o nome do blogue.

Ya, um bom título está sempre presente - de algum modo - no texto; caso contrário, seria um título inadequado. :)

Tiago r disse...

Ah, sim, verdade, no link não aparece.
O título, assim, ficou centrado e junto do texto, que, de outra forma, não ficaria: foi só por isso! ;) Caso isolado. :)

Anónimo disse...

Não sabia que tinhas jeito para o mal dizer
és um mestre: se é para dizer mal, diz-se com talento! o Eça também o fazia
gostei!
Isso é sobre alguém em especial...
na minha vida pode-se aplicar a tanta gente...

Tiago r disse...

Não sou um mestre, ó Anónimo. Esses já os houve. Sou mero discípulo, ou imitador. No compromise still!

Não é dirigido a alguém em especial; é sim generalista. É um «Tu» plural.